Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

O 20º Congresso do PS em 10 momentos

De volta ao punho. António Costa quer maioria absoluta nas próximas legislativas. Mas virou-se completamente para a esquerda neste congresso. Mais uma quadratura do círculo?

Luís Barra

Foi um congresso "controladíssimo", onde o tema Sócrates só por duas vezes subiu ao púlpito - uma por António Costa e outra por Manuel Alegre - e nem foi preciso pronunciar-lhe o nome. O novo líder do PS queria o partido com os olhos postos no futuro, e não no passado. E conseguiu. 

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Editora de Política da SIC

1. A sombra de José Sócrates. Foi o ausente mais presente ao longo dos dois dias do XX Congresso socialista. Temia-se - sobretudo depois das emotivas palavras em defesa do ex-primeiro-ministro proferidas por Mário Soares, quando o foi visitar à prisão de Évora -  que o conclave se pudesse transformar numa gigantesca manifestação de apoio ao ex-primeiro-ministro e, pior, de crítica do sistema judicial. Mas António Costa não deixou. Logo a abrir os trabalhos, no sábado de manhã,  arrumou o assunto em breves palavras: assumiu o "choque brutal", felicitou os socialistas pela "responsabilidade e serenidade que têm revelado ao enfrentar uma prova para que ninguém está preparado" e voltou a lembrar a necessidade de "confiança no Estado de Direito e no seus valores essenciais". Ponto final. 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI