Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Mulheres executivas. Em Portugal, nem as filhas do patrão

Desigualdade. A secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade,Teresa Morais, classifica de retrógrada a ausência de mulheres na gestão das empresas. Na política a situação também não é muito diferente

António Pedro Ferreira

Mais um estudo internacional, mais uma prova da desigualdade de género na gestão das empresas. Uma "cultura retrógrada".

Quando ingressou como engenheiro na Efanor, em 1962, Belmiro de Azevedo ouviu da boca do seu primeiro chefe uma recomendação sábia para evoluir na hierarquia  de uma empresa. Ser filho do patrão, casar com a filha do patrão ou saber mais do que os outros. Belmiro seguiu a terceira via de uma recomendação que traduzia a cultura de uma época que só os ventos de abril de 1974 ajudariam a refrescar.

 

Para continuar  ler o artigo, clique AQUI