Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Campanha eleitoral de calculadora em punho

  • 333

Imprevisível. Cameron disse que não concorreria a um terceiro mandato, mas o segundo está longe de assegurado

Facundo Arrizabalaga/Epa

Com as sondagens a preverem que nenhum partido terá maioria, a corrida às legislativas arrancou esta semana na certeza de que as alianças serão cruciais.

Fazer contas tornou-se um requisito essencial não só para ganhar como até para entender as eleições legislativas britânicas do próximo dia 7 de maio. É certo que fazer contas, em sentido lato, é sempre um requisito para quem quer governar (cumprido ou não, depois se verá) mas, no caso concreto, a ideia é reforçada quer pelos argumentos dos principais candidatos quer pela aritmética complicada que se antevê para o dia seguinte.

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI