Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Por que motivo o exame nacional de História foi uma “surpresa muito desagradável”

A disciplina de História tem tido médias de exame sempre baixas mas este ano voltou a descer para valores negativos

Foto Marcos Borga

Associação de Professores de História considera que as alterações das cotações no exame nacional contribuíram para os maus resultados na disciplina. Instituto de Avaliação Educativa explica que alterações não envolvem a estrutura do exame e que “não alteram” a forma como os alunos se preparam para a prova

A média dos exames nacionais de História foi a mais baixa de todas as provas do secundário este ano e desceu para um nível negativo. Para esses maus resultados, defende a Associação dos Professores de História (AHP), contribuiu a mudança das cotações da prova deste ano, que “apanhou de surpresa” os docentes e os alunos. “Gostaríamos que esta situação fosse revista no próximo ano letivo pelo IAVE.”

“As provas de História A e B constituíram uma surpresa muito desagradável para alunos e professores, não tendo a tutela dado qualquer indicação, nomeadamente na Informação-Prova, de que estas mudanças iriam ocorrer”, diz ao Expresso Miguel Monteiro de Barros, presidente da APH. “Consideramos que mudanças deste calibre exigem, no mínimo, a veiculação dessa informação.”

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)