Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Os gigantes e os outros

Os Pearl Jam tocam no sábado às 23h15

Foto Roberto Silvino/NurPhoto/Getty Images

Na sua 12ª edição, o NOS Alive oferece um cartaz de luxo. Dos imponentes cabeças de cartaz às grandes promessas e revelações, difícil será escolher

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

1 de dezembro do ano passado. Foi nesse dia que a Everything is New, promotora que desde 2007 organiza em Algés um dos maiores festivais de música do país, anunciou que os Pearl Jam atuariam no NOS Alive este ano. A 5 de dezembro, ou seja, quatro dias depois, já não havia bilhetes para 14 de julho, data em que Eddie Vedder e seus comparsas voltarão ao palco onde atuaram pela última vez em Portugal: parecendo que não, já foi há oito anos. Desde então, os grandes sobreviventes do movimento grunge lançaram apenas um álbum — “Lightning Bolt”, em 2013, representado com discrição nos alinhamentos da presente digressão. Com uma longa carreira de estúdio e uma clara apetência para calcorrear os palcos de todo o mundo, os Pearl Jam deverão trazer até aos fãs portugueses uma seleção de temas do seu percurso, com destaque — ainda — para os clássicos de “Ten”, a sua estreia de 1991, e “Versus”, que em 1993 lhe sucedeu.

Espécie de coqueluche do Alive, em cuja primeira edição tocaram, os Pearl Jam são o tipo de banda capaz de esgotar um festival, mas desde dezembro que as confirmações não pararam de chover, fazendo deste cartaz um dos mais apetrechados da história do evento. A música começa a ouvir-se, no Passeio Marítimo de Algés, quinta-feira, 12 de julho.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)