Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Com apenas 100 euros nasceu esta fábrica de software

Daniel de Castro Ruivo e André Rodrigues Lopes fundaram a Altar.io em 2015

Foto Tiago Miranda

Trabalha maioritariamente com startups suíças mas é uma empresa portuguesa, com certeza. Com sede em Lisboa, vai abrir este ano o segundo centro de desenvolvimento de software e quer contratar 55 a 60 programadores até ao final de 2019, num país onde existem cerca de 80 mil

Não é a primeira vez que André Rodrigues Lopes faz nascer uma empresa. Em 2011 trocou um sector imobiliário em crise por um negócio próprio, que acabaria por ver a luz do dia um ano depois: a Table & Friends, plataforma online que organizava não só jantares entre amigos mas também entre desconhecidos em torno de um tema específico. Acabaria por vendê-la e rumar às Filipinas para trabalhar numa fintech, mas a vida trá-lo-ia de regresso a Portugal para fundar nova empresa.

Foi quando conheceu o empreendedor Daniel de Castro Ruivo que decidiu criar com ele a Altar.io. Esta é empresa portuguesa de desenvolvimento de produto e de software – ou, como se gosta de dizer no meio, software house – que desenvolve soluções para fintechs (startups de tecnologia financeira) e marketplaces (plataformas de comércio eletrónico) e inclui ainda serviços de design de interface e de experiência do utilizador (UI / UX) ou apoio à criação de negócios de startups.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)