Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

A morte do candidato da esperança

getty

Há 50 anos Robert Kennedy era morto a tiro quando se preparava para assegurar a nomeação democrata para as eleições presidenciais. Como teria sido a América se ele tivesse ganho?

Na madrugada de 5 de junho de 1968, num corredor da cozinha do Hotel Embaixador em Los Angeles, um jovem americano de origem palestiniana disparou contra o senador Robert Kennedy, irmão mais novo do Presidente John Kennedy, assassinado cinco anos antes em Dallas. Dois tiros na cabeça deixaram-no agonizante, falecendo no dia seguinte.

Uma sucessão de acasos levou ao drama. Primeiro a decisão da segurança pessoal do senador de atalhar através dos acessos da cozinha (onde haveria de surgir o atirador) para evitar os perigos de um átrio de hotel com demasiada gente. Depois o repórter fotográfico Ron Bennett, da UPI, quase conseguia desarmar a tempo o assassino, acabando por só o fazer depois de disparados os tiros fatais.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)