Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

O dia em que Marcelo falou para uma “minoria privilegiada” com uma “responsabilidade enorme”

epa

Até perto das 16h desta terça-feira, o Presidente da República cumpriu em Madrid todos os pontos da sua agenda oficial sem sobressaltos. Mas foi nas Cortes (Parlamento) que aconteceu o momento insólito do dia. Antes, distribuiu afetos por um grupo de jovens e um aperto de mão vigoroso a Mariano Rajoy, com quem esteve em sintonia

Mariana Lima Cunha

em Madrid

Jornalista

Até àquele momento, o dia não poderia ter corrido de forma mais serena e ordenada. Marcelo já cumprira, por volta das 16h em Madrid (menos uma hora em Lisboa), pelo menos cinco pontos da sua agenda e tudo corria de acordo com o planeado. Foi por volta dessa hora que aconteceu o primeiro imprevisto: Marcelo falou aos deputados e senadores espanhóis, a sessão encerrou e, por entre as palmas, ouviram-se os primeiros versos de ‘Grândola Vila Morena’.

Não é clara a reação do Presidente português ao momento protagonizado pelos deputados independentistas catalães, que, empunhando cravos amarelos como homenagem à revolução e aos que consideram ser presos políticos, cantaram a canção de Zeca Afonso enquanto os restantes colegas começavam a dispersar. Como membros da comitiva portuguesa, também assistiram ao momento os deputados que acompanham Marcelo (António Carlos Monteiro, CDS; Rita Rato, PCP; Luís Testa, PS; e Carla Barros, PSD) assim como o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)