Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Luciano das ratas

Personagens famosas no seu tempo e praticamente esquecidas, umas menos outras mais, é do que vai tratar esta série de pequenas biografias que agora se inicia com uma figura do início do século XX, notícia diária nos jornais por ter a bizarra profissão de matador de ratos e ratazanas à paulada nos esgotos de Lisboa

Anabela Natário

Anabela Natário

texto

Jornalista

João Carlos Santos

João Carlos Santos

ilustração

Fotojornalista

Nasceu Luciano Moreira, no dia 29 de dezembro de 1859, num dos bairros históricos do Porto, o da Cedofeita. Aos 43 anos, consolidou a fama como “Luciano das ratas” e tornou-se numa celebridade municipal em... Lisboa. Fez-se pedreiro com proveitos escassos daí que agarrasse uma atividade sem pretendentes, a de matador nos canos de esgoto. Em sete anos, o homem, que sabia falar francês, inglês e um pouco de italiano e de espanhol, exterminou mais de 100 mil ratos e ratazanas.

Filho do ex-soldado António Miguel, de Valpaços, e de Ana Margarida, de Guimarães, de profissão doméstica, Luciano fugiu ao domínio paterno ainda menor. Arranjou trabalho num paquete e correu mundo antes de se radicar em Lisboa, na freguesia da Ajuda, onde depois de um tempo a viver com Amélia da Conceição, mais nova 15 anos, com ela se casou em 1894, ficando no registo a pobreza do casal.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)