Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Uma primavera com lágrimas (ou a vida em 4 estações)

A primavera chegou nesta terça-feira, com tempo de inverno. Nos Arquivos Expresso reproduzimos um trabalho publicado na revista de 21 de março de 2009 no qual uma pintora, um administrador, uma coreógrafa e um escritor recorda(va)m as estações do ano - uma por cada um - que não apagam da memória. Começamos com a primavera, embora não fosse descabido começar pelo inverno, já que vem aí de novo trovoada e ventania...

Rui Duarte Silva

Uma primavera com lágrimas

Cristina Valadas, 45 anos, pintora e ilustradora de livros infantis

Aos 40 anos, Cristina Valadas usufruía de uma vida perfeita: casamento feliz, casa bonita, dois filhos, uma boa situação material e um excelente reconhecimento profissional. Nada lhe faltava. E, no entanto, consumia-a uma infinita tristeza. Sofria às escondidas. Apetecia-lhe gritar a pedir ajuda. Um dia, na primavera de 2004, depois de ter festejado a 28 de abril quatro décadas de vida, parou. Sentiu necessidade de escavar no fundo de si mesma. Não queria o contributo de psicólogos ou psiquiatras, nem dos remédios tantas vezes atrelados a esses apoios. "Queria encontrar a razão daquele sofrimento, doesse o que doesse." Na altura, a filha frequentava ginástica rítmica. Estava em competição e treinava todos os dias, mas já sem vontade, já sem desejo, já sem disponibilidade.

Cristina, porém, recusava-se a escutar-lhe os apelos. "Ela queria desistir e eu forçava-a a ir porque estava a viver a vida dela para não viver a minha. Nesse momento tive a noção de que algo estava mal." As crises, diz Cristina, "são por vezes oportunidades que nos estão a dar e não as aproveitamos". A pintora descobriu a Índia. Descobriu insuspeitas afinidades com o Oriente e o seu dia a dia passou a conter uma dimensão espiritual até aí inexistente. No seu ateliê debruçado sobre o Douro, Cristina sente-se uma mulher reconciliada com a vida, graças à profunda crise de uma primavera. Não por acaso, diz, a primavera contém em si a ideia do renascer. Do voltar à vida.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)