Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Operação Lex. Oficial de justiça suspeito de ser intermediário de Rangel suspenso por quatro meses

José Caria

Otávio Correia foi suspenso por quatro meses pelo Conselho dos Oficiais de Justiça. É suspeito de ter servido de intermediário entre o juiz Rui Rangel e os clientes que desejavam uma sentença favorável dos tribunais

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

Um dos principais suspeitos da Operação Lex, o oficial de justiça Otávio Correia, foi afastado do Tribunal da Relação de Lisboa, onde era escrivão da 9ª secção, do juiz desembargador Rui Rangel. No início de fevereiro, quando foi ouvido no Supremo Tribunal de Justiça pelo conselheiro Pires da Graça, Otávio Correia saiu em liberdade, sujeito apenas a Termo de Identidade e Residência e à proibição de contactos com os outros arguidos. No dia seguinte, apresentou-se na Relação para trabalhar normalmente, ao contrário do que aconteceu com os desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante que apesar de não terem sido afastados pelo Supremo, foram suspensos quase imediatamente pelo Conselho Superior da Magistratura.

Agora, o Conselho dos Oficiais de Justiça, o órgão de disciplina dos funcionários judiciais, decidiu instaurar um processo disciplinar a Otávio Correia e suspendê-lo por quatro meses. Vai ficar sem 1/6 do vencimento e está impedido de entrar na Relação de Lisboa.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)