Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Igualdade de género e diversidade nas intervenções da 90ª edição dos Óscares

A última edição dos Óscares foi este domingo no Dolby Theatre em Los Angeles, Califórnia

epa

Nesta edição dos Óscares, seis mulheres e 33 homens foram premiados. As revelações de assédio sexual conhecidas no último ano estiveram no palco do Dolby Theatre – assim como a falta de diversidade e a desigualdade entre homens e mulheres na indústria cinematográfica

Naquela que era a primeira cerimónia de entrega dos Óscares depois das várias revelações de assédio sexual conhecidas em Hollywood esperava-se que este fosse um assunto marcante na 90ª edição destes prémios. E a verdade é que foi o tema de alguns discursos e intervenções, mas não de forma intensa: igualdade de género, inclusão e diversidade foram transversais naquilo que se ouviu mas apenas seis mulheres foram premiadas com o galardão, um número muito distante dos 33 homens que receberam um Óscar.

Foi logo no monólogo de abertura do apresentador Jimmy Kimmel que o assédio sexual na indústria cinematográfica chegou ao Dolby Theatre, em Los Angeles, já depois de algumas referência no tapete vermelho. “O que aconteceu com Harvey, o que está a acontecer, já chega tarde. Não podemos deixar estes comportamentos impunes”, disse Kimmel. “O mundo está a observar-nos. Precisamos de ser um exemplo. Se formos bem-sucedidos, se formos capazes de acabar com o assédio sexual nos locais de trabalho, as mulheres só vão ter de viver o assédio sexual em todos os outros locais que frequentarem. Ao longo desta noite, espero que se ouçam os muitos apoiantes corajosos de movimentos como #MeToo e Time’s Up.”

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)