Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Descobrir bases militares secretas e identificar quem lá trabalha? Há uma app para isso

d.r.

Já todos partilhámos ou temos amigos que partilham nas redes sociais os itinerários das suas corridas matinais, mas o que não costuma acontecer é essa linha, em vez de mostrar o percurso da Avenida Ribeira das Naus à Ponte 25 de Abril, mostrar, por exemplo, os contornos exatos de bases militares norte-americanas no Afeganistão. Porém, foi precisamente isso que aconteceu quando a Strava, uma aplicação de monitorização de exercício físico, publicou, em forma de mapa-mundi reluzente, os percursos de corrida mais populares do mundo, segundo dados fornecidos pelos próprios utilizadores da aplicação

Ana França

Ana França

Jornalista

Os mapas da Strava são hipnotizantes. Esta aplicação de fitness pegou em toda a informação que os utilizadores fornecem voluntariamente sobre a localização das suas sessões de exercício - seja natação, ciclismo ou jogging - e criou uma mapa do mundo trespassado a linhas coloridas, mais brilhantes nos locais onde mais pessoas utilizam a aplicação. Vista do espaço Lisboa é um ponto branco, completamente saturado de luz. Ao aproximarmos a imagem é possível distinguir as ruas da capital, e ver quais as rotas mais populares de jogging.

Os registos foram tornados públicos pela Strava em novembro de 2017. Mas este fim de semana, Nathan Ruser, um jovem estudante australiano com um forte interesse por conflitos internacionais, notou que os mapas poderiam colocar em risco militares que estão destacados fora dos seus países, em missões sensíveis e eventualmente secretas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)