Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Uma pessoa acorda de manhã e decide criar um partido. Foi isto? “Bom, sim, sendo que foi a 24 de junho”

Créditos: conta do Facebook do novo partido britânica RENEW

Querem um segundo referendo à saída do Reino Unido da União Europeia, defendem uma “necessariamente agressiva” política de construção imobiliária e têm um plano para acabar com a pobreza mais extrema - que envolve muita tecnologia tal como a tecnologia envolve as camadas mais jovens onde se querem afirmar. James Torrance, economista e um dos fundadores do novo partido britânico, o RENEW, explica ao “Expresso” os objetivos do movimento, os pequenos sucessos que já alcançou e defende a possibilidade do florescimento de um partido de centro - ainda que seja dos poucos a fazê-lo nos dias que correm. Concorreu como independente pela freguesia de Kensington nas últimas eleições e viu os dois mundos que o Reino Unido contém: a elegante Notting Hill fica em Kensington mas também o bairro onde cresceu o infame “Jihadi John” - e a torre de Grenfell, que espantou o mundo quando ardeu, é igualmente lá

Ana França

Ana França

Jornalista

Uma pessoa acorda de manhã e decide criar um partido. Foi isto?
Bom, sim, sendo que essa manhã foi a manhã de 24 de junho, a manhã do Brexit (risos). O que aconteceu foi que uma data de pessoas que concorreram como independentes nas eleições gerais em maio do ano passado encontraram-se em campanha e acabámos por entender que havia muitas coisas que nos ligavam. Não estávamos sozinhos e pensámos ‘se nós decidimos, por nós mesmos, concorrer como independentes sem nos conhecermos e partilhamos tantas ideias, então é possível que exista mais gente por aí à procura de respostas’.

O que é que vos uniu?
Uniu-nos a frustração, tanto com os trabalhistas como com os conservadores. E também consideramos que os Liberais Democratas estão descredibilizados e as pessoas já não lhes querem confiar as suas esperanças centristas ou mesmo as de centro-esquerda, porque eles perderam muita influência parlamentar.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)