Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Expresso publica parte do capítulo oculto sobre fogo mortal em Pedrógão

A CNPD autorizou a publicação da passagem relativa à prestação de socorro do relatório elaborado por Xavier Viegas

Rui Duarte Silva

A Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande mantém a defesa da publicação do capítulo sobre as mortes de 65 pessoas. Mas, “com regras” e desde que os familiares concordem. O país tem de saber, diz Nádia Piazza. O Ministério da Administração Interna aceitou e ainda esta sexta-feira revelará parte do documento. O Expresso antecipa o excerto

O acordo foi rápido e abrangente. A reunião desta sexta-feira entre os representantes da Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande (AVIPG) e o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, resultou na concordância em conseguir alcançar a quadratura do círculo: o polémico capítulo 6 do relatório elaborado pelo Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais da Universidade de Coimbra será divulgado, mas respeitando o direito à privacidade das vítimas e apenas com a concordância dos familiares, cumprindo a deliberação emitida esta semana pela Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD).

Justificando que “quem tem de decidir se faculta as circunstâncias da morte dos seus familiares são os familiares”, Nádia Piazza, presidente da AVIPG sublinhou, à saída do encontro, que o objetivo final é a divulgação do documento na íntegra. Para alcançar esta meta, a associação já está a recolher o consentimento dos familiares para que, no seu conjunto, ele possa ser publicado rapidamente, mas “com regras”, garantiu Piazza. Para isso, na próxima semana, deverá ser criado em Pedrógão Grande um espaço onde as assinaturas poderão ser recolhidas e outro em Lisboa.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)