Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Os 500 anos acidentados do Da Vinci perdido

"Salvator Mundi" Encomendado pelo rei Luís XII de França a Leonardo Da Vinci, em 1500, o quadro andou perdido entre a Europa e os EUA durante mais de 200 anos

getty

Durante séculos, a última pintura do mestre renascentista Leonardo Da Vinci esteve desaparecida. Foi ontem leiloada, tornando-se a obra mais cara de todos os tempos. Conheça o percurso acidentado do “Salvator Mundi”, que demorou cinco séculos a chegar a todos nós

Seria de prever que a última obra revelada de Leonardo Da Vinci fosse à semelhança do seu criador: enigmática, misteriosa, com um percurso tortuoso e apaixonante. "Salvator Mundi", a 15ª pintura de Da Vinci, o maior mestre renascentista, só ressuscitou para o mundo há um par de anos, apesar de ter sido criada, em 1500.

No seu meio século de existência, passou de mão em mão, de nação em nação, entre realeza, oligarcas, e negociantes de arte. Atravessou o Atlântico, foi vendido por 45 libras, antes de se sagrar, ontem, a obra de arte mais cara de todos os tempos, quando foi arrematada por 450 milhões de dólares (382,5 milhões de euros).

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)