Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Furacão Ophelia foi tão raro que ficou cortado nos mapas das previsões oficiais

Mapa das velocidades prováveis do Ophelia entre 15 e 20 de outubro (a verde as mais baixas e a púrpura as mais elevadas)

Foto NATIONAL HURRICANE CENTER/NOAA

Um furacão no leste do Atlântico a atingir latitudes tão elevadas era impensável para os meteorologistas

Virgílio Azevedo

Virgílio Azevedo

Redator Principal

O Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC) tem uma vasta experiência na monitorização da época de furacões no Atlântico Norte, mas com o furacão Ophelia enfrentou uma dificuldade inesperada: nos seus mapas de previsão do vento não estavam incluídas uma parte do Reino Unido (sudeste) e da área marítima envolvente.

Tudo porque há tão poucos ciclones tropicais a viajarem tão longe para nordeste do Atlântico que o NHC não inclui esta área nos seus mapas de previsão do vento, revela a publicação online americana “The Verge”. Aliás, não havia nenhum registo histórico de uma tempestade desta natureza com a Categoria 3 (numa escala de 1 a 5) que tivesse viajado até latitudes tão elevadas para nordeste, segundo o jornal “The New York Times”.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)