Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“Alguém como eu”. “O filme é para todo o mundo que fala português e para todo o mundo que sabe ler legenda”

Sara Prata é uma das protagonistas do filme de Leonel Vieira que estreia esta quinta-feira nos cinemas

O Expresso esteve à conversa com Júlia Rabello, Sara Prata e Ricardo Pereira a propósito de “Alguém Como Eu”, a coprodução luso-brasileira que chega esta quinta-feira aos cinemas. Uma conversa sobre o filme de Leonel Vieira, que poderá abrir portas a novas produções.

João Miguel Salvador

João Miguel Salvador

texto

Jornalista

Luís Barra

Luís Barra

fotos

Fotojornalista

O que se aprende de novo, nestas equipas que juntam pessoas dos dois países?
Sara Prata — Imenso. Faz muito sentido unir estes dois lados, haver essa união entre Portugal e o Brasil, mesmo no dia a dia. Na nossa sociedade vamos sendo cada vez mais próximos, e é bom que isso passe também para outros campos. É uma parceria que faz todo o sentido existir também na representação e no cinema.

Ricardo Pereira — O que é bom, acima de tudo, é que nós temos que começar a fazer cada vez mais isto. Já se faz muito em música e faz-se com muita frequência. Já se faz bem em outros setores, da gastronomia à literatura, passando pelo teatro (que tem uma frequência maior). O cinema tem tido coproduções, mas nunca tão grandes como esta.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)