Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Mais de 1/5 dos adolescentes tratados com psicofármacos. Responsáveis da Saúde Mental contra prescrição

d.r.

Responsáveis pelo Programa Nacional para a Saúde Mental criticam o recurso a medicação para tratar adolescentes. Relatório publicado esta terça-feira revela que 22% dos jovens com 17 anos e 23,2% dos jovens com 18 tomavam substâncias psicoativas em 2015

É mais um dado alarmante sobre a falta de saúde mental em Portugal. No relatório do Programa Nacional para a Saúde Mental publicado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS) consta que a prevalência de adolescentes que tomam substâncias psicoativas, medicamentos e outros produtos, aumenta segundo a idade: 8,8% aos 13 anos, 15,9% aos 15; 22% aos 17 e 23,2% aos 18 anos, por exemplo.

Os dados, relativos a 2015, alarmam os responsáveis pela estratégia nacional, dirigida pelo psiquiatra Álvaro Carvalho: “Quando se verifica que em todos os grupos etários a maioria acedeu a psicofármacos através de prescrição médica, é inevitável questionar sobre a racionalidade da prescrição destes fármacos”, lê-se no documento.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)