Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“Boa noite Malásia 370”

FOTO MANAN VATSYAYANA/AFP

A última vez que o comandante do voo 370 da Malaysia Airlines falou foi para se despedir. O relatório final do Gabinete Australiano de Segurança nos Transportes, conhecido esta terça-feira, continua sem desvendar um dos maiores mistérios da aviação comercial, mas reúne toda a informação até agora conhecida

A tripulação do voo 370 da Malaysia Airlines que, a 7 de março de 2014, desapareceu algures no Índico, voava há uma hora e 17 minutos quando foi dado o que viria a ser o último sinal de vida. Eram precisamente 17:19:30 (hora local) quando o comandante se despediu dos controladores de tráfego aéreo de Kuala Lumpur com “Boa noite Malásia 370”. As palavras foram ouvidas quando o avião, com 239 pessoas a bordo, já estava a entrar no espaço aéreo controlado pelo Vietname.

Os investigadores que assinam o relatório divulgado, esta terça-feira, pelo Gabinete Australiano de Segurança nos Transportes, reconhecem que as causas e o paradeiro do Boeing 777-200ER continuam por encontrar, admitindo que isto é “praticamente inconcebível na era da aviação moderna”. No documento, muito extenso, são apresentados todos os dados conhecidos sobre o acidente e sobre tudo o que foi feito até agora para desvendar o mistério: desde estudos, cálculos, buscas, simulações, etc.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)