Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Acordo dos enfermeiros com o Estado não é para todos

RODRIGO ANTUNES

Movimento de protesto na rua e nos serviços maternos e obstétricos quer ser chamado para negociar. Acordo em preparação entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses e o Governo não satisfaz a classe

Está a terminar a longa negociação entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde, mas o clima de protesto promete durar. O reforço de salários para os especialistas ou a aplicação de um horário semanal de 35 horas para todos os profissionais de enfermagem em unidades públicas de saúde que estão em cima da mesa não deixam satisfeitas as muitas centenas de profissionais em greve.

O SEP não apoia o protesto dos enfermeiros parteiros que há quatro meses recusam os cuidados especializados a grávidas e recém-nascidos nem a paralisação iniciada na segunda-feira, dia 11, e os promotores destas ações vão manter a contestação em nome dos objetivos que continuam por conquistar.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)