Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Inflação nos produtos energéticos mais do que duplica e puxa preços no consumidor

Foto Marcos Borga

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor dos produtos energéticos atingiu 2,43% em agosto, mais do dobro do registado no mês anterior. Uma evolução que impulsionou a subida da inflação total de 0,9% em julho, para 1,14% em agosto

A inflação em Portugal acelerou e a culpa é... dos produtos energéticos. Em agosto, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) atingiu 1,14%, o que compara com 0,9% em julho, avançou esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Contudo, considerando apenas o índice referente aos produtos energéticos, a taxa de variação homóloga mais do que duplicou, passando de 1,1% em julho, para 2,4% em agosto.

Sinal do peso dos produtos energéticos na subida da inflação, a variação homóloga do IPC excluindo esta classe de bens ficou nos 1,02% em agosto, o que compara com 0,89% em julho. Um aumento bem mais modesto do que o registado na inflação total.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)