Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Paulo Macedo: “Há sempre uma tentação de puxar a Caixa para a arena política”

Na sua primeira grande entrevista seis meses depois de assumir a liderança da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que é publicada na íntegra na edição deste sábado do Expresso e que antecipamos esta sexta-feira, o gestor assume que o plano de reestruturação desenhado para o banco público é “difícil de executar” mas tem grandes possibilidades de sucesso nas suas grandes linhas

Pedro Lima

Pedro Lima

texto

Editor

Luís Barra

Luís Barra

foto

Fotojornalista

Paulo Macedo tem um longo caminho pela frente no processo de reestruturação da Caixa, que passa não só por corte significativo de custos mas sobretudo por conseguir gerar proveitos

Paulo Macedo tem um longo caminho pela frente no processo de reestruturação da Caixa, que passa não só por corte significativo de custos mas sobretudo por conseguir gerar proveitos

Luis Barra

Paulo Macedo considera que tem uma missão difícil pela frente – a de aplicar um plano de reestruturação exigente, que ainda só está no seu início – mas acredita que terá sucesso.

Para isso, no entanto, é necessário que haja um consenso no país sobre a importância de ter um banco público em Portugal.

Considerando que “há sempre uma tentação de puxar a Caixa para a arena política”, refere que “as pessoas têm de ter consciência de que a Caixa precisa de ser rentável porque tem de gerar capital organicamente para cumprir os requisitos adicionais impostos pelo Banco Central Europeu”. “Tem de remunerar o acionista, pois todos os portugueses querem que o dinheiro que foi posto na Caixa tenha retorno.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)