Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Kenneth Rogoff, o economista que explica como o BCE zangou a Alemanha e salvou o euro

O presidente do Banco Central Europeu acabou por fazer mais tarde parte daquilo que devia ter sido decidido pelos políticos europeus e pelo Fundo Monetário Internacional logo no início da crise das dívidas soberanas, defende o economista em entrevista a publicar na edição deste sábado do semanário

“O que o Banco Central Europeu (BCE) fez foi uma efetiva mutualização da dívida pela porta dos fundos, o que pode ter zangado a Alemanha, mas acabou por salvar a situação na zona euro”, diz Kenneth Rogoff, professor de Economia e de Políticas Públicas na Universidade de Harvard, em Boston, em entrevista ao Expresso a ser publicada na edição deste sábado do semanário.

Para Rogoff, Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu (BCE), acabou por fazer grande parte daquilo que tinha de ser feito – segurar os países periféricos da União Europeia onde a moeda é o euro para preservar a zona da moeda comum. Fê-lo tardiamente, quase no limite, após os políticos europeus e o Fundo Monetário Internacional se terem recusado a fazer o que devia ter sido avançado logo no início da crise das dívidas soberanas, em 2010.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)