Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“António Costa tem de ser consequente com o que disse sobre a PT”

Patrick Drahi e Armando Pereira, os líderes da Altice

Foto Rui Duarte Silva

Jorge Félix, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da PT, exige que o primeiro-ministro pressione a administração da operadora contra o seu "desmembramento" e "transferência de trabalhadores" para outras empresas. A Altice anunciou esta quinta-feira que vai lançar serviços bancários nos países onde opera, incluindo Portugal

João Ramos

João Ramos

Jornalista

O Sindicato dos Trabalhadores da PT exige que o Governo passe das palavras aos atos, depois do primeiro ministro, António Costa, ter afirmado esta quarta-feira na Assembleia da Republica, "temer pelos postos de trabalho e pelo próprio futuro da Portugal Telecom" nas mãos da multinacional Altice. O primeiro ministro disse recear a perda futura de postos de trabalho e apontou à operadora "falhas graves" no incêndio de Pedrógão Grande.

"O primeiro-ministro não pode ficar apenas pelas palavras e tem que ser consequente com o que disse ontem sobre a PT", afirma Jorge Félix, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da PT.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido

  • Pensava, talvez erradamente, que o primeiro-ministro de um país não podia queixar-se de nada, salvo da Oposição, do azar, ou das forças da natureza, ao poder das quais se converteu recentemente Catarina Martins. Não é bem assim. O chefe do Governo pode queixar-se de uma operadora de telemóveis por esta estar a despedir pessoas e a funcionar mal em certas zonas… ou de uma empresa de energia por ser ‘manhosa’