Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Centros de Saúde em Pedrógão continuam sem sistema informático quase um mês depois do fogo

Quase um mês depois dos fogos que atingiram o concelho, há quem ainda não tenha acesso à rede fixa de telecomunicações

Marcos Borga

Os utentes dos centros de saúde de Vila Facaia e da Graça precisam de renovar as baixas médicas e ter acesso a receituários, mas não podem porque o sistema informático não funciona. No concelho de Pedrógão Grande, quase um mês depois dos fogos, ainda há pessoas sem televisão, Internet ou telefone fixo

No dia 17 de julho faz um mês que morreram 64 pessoas, mais de 500 casas ficaram afetadas e mais de 410 quilómetros quadros arderam no concelho de Pedrógão Grande. Desde então as telecomunicações apresentam problemas. O mais grave respeita à rede fixa, com consequências no acesso à Internet e à televisão por cabo.

Um dos serviços afetados é o das extensões de Vila Facaia e da Graça, abrangidas pelo Centro de Saúde de Pedrógão Grande, que atendem cerca de 1500 pessoas. Nestas duas aldeias, o sistema informático não funciona, impedindo que sejam disponibilizadas as requisições necessárias ao tratamento de doentes crónicos, como diabéticos, ou a entrega da renovação de baixas médicas, necessárias para que as pessoas afetadas não se apresentem ao trabalho.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido