Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Como é que Jay-Z foi descobrir (e usar) uma música de 1970 de Tozé Brito e José Cid?

d.r.

Jay-Z, um dos maiores rappers do mundo, utilizou um tema obscuro de 1970 do antigo grupo português Quarteto 1111 no seu novo álbum, que chegou esta sexta-feira à plataforma de música Tidal. Como terá Jay-Z chegado ao antigo grupo de José Cid e Tozé Brito? Como se explica este inédito caso de sampling?

O novo álbum de Jay-Z saiu esta sexta-feira exclusivamente através do Tidal, a plataforma de streaming de que o rapper nova-iorquino é proprietário. O álbum, “4:44”, tem uma dezena de temas e um deles, “Marcy Me”, o nono no alinhamento, é inteiramente construído em torno de um sample de “Todo o Mundo e Ninguém”, uma canção de 1970 do Quarteto 1111 com autoria repartida por Tozé Brito e José Cid.

Em declarações à revista “Blitz”, os dois históricos músicos portugueses revelaram que o pedido de uso do tema chegou pelos canais normais, através da Sociedade Portuguesa de Autores, e que tanto os autores como o proprietário do master - a Valentim de Carvalho, neste caso - acederam, mediante contrapartidas, a que os excertos fossem usados. “Percentagem simpática” foi a expressão usada por Tozé Brito.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)