Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

PGR vai obrigar Temer a passar três vezes pelo crivo

Michel Temer é o primeiro Presidente do Brasil a responder por um crime comum

Foto UESLEI MARCELINO/REUTERS

O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, acusou o Presidente brasileiro, Michel Temer, de corrupção passiva. A autorização para julgar o chefe de Estado neste contexto tem que passar pelo Parlamento. Mas o Procurador apostou em fragmentar o processo e está a ultimar mais duas acusações preliminares: obstrução à justiça e associação criminosa

Michel Temer tornou-se ao final da tarde desta segunda-feira no primeiro Presidente brasileiro em funções a ter que responder por um crime comum. O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, entregou ao juiz Edson Fachin, relator da operação anticorrupção Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), a acusação preliminar contra Michel Temer por corrupção passiva. Não sendo ainda uma acusação formal, marca o ponto de partida do processo em que Rodrigo Janot acusa o Presidente de agir em conluio com o seu homem de confiança e ex-deputado Rodrigo Rocha Loures na prática dos crimes relatados pelo empresário Joesley Batista, dono do gigante da pecuária JBS.

A gravação feita pelo dono da JBS de uma conversa com Temer em que o Presidente dá o seu assentimento ao pagamento do silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha – preso desde outubro - ou a filmagem feita pela Polícia Federal de Rocha Loures a transportar uma mala com 500 mil reais (135.000 euros), são alguns dos aspetos mais mediáticos da investigação.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)