Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

O que os Açores já fizeram e o que lhes falta fazer, segundo Marcelo, o otimista

Marcelo comemorou o Dia dos Açores na ilha do Faial, participando nas Festas do Espírito Santo

josé carlos carvalho

Comemora-se esta segunda-feira o Dia da Região Autónoma dos Açores, na qual Marcelo Rebelo de Sousa participou na Horta, ilha do Faial. Os últimos cinco dias têm servido para traçar um retrato do que está a ser feito e do que ainda tem falhas - e é no "plano social" que há mais falhas

Raquel Albuquerque

Raquel Albuquerque

texto

Jornalista

José Carlos Carvalho

José Carlos Carvalho

fotos

Fotojornalista

Da beleza natural ao crescimento económico, da gastronomia às finanças públicas, Marcelo Rebelo de Sousa tem repetido elogios aos Açores desde que aterrou no arquipélago na passada quinta-feira. "Muito haverá, no entanto, ainda a fazer", afirmou esta segunda-feira, na sessão solene do Dia da Região Autónoma dos Açores, no parlamento regional na Horta, ilha do Faial, ilustrando o lado do que ainda está por resolver.

O crescimento de 2% do PIB em 2016, o controlo das finanças públicas e o combate ao desemprego, com a diminuição da taxa para 9,3%, são o "muito que já se fez e que está agora a ser feito" no arquipélago. Contudo, segundo Marcelo, o que "ainda há a fazer" surge sobretudo no "plano social, através de atuação constante, incisiva e inclusiva", olhando para os mais pobres, elevando os níveis educativos e promovendo o nível de qualificação científica e tecnológica. Sobretudo nos Açores, que são o território mais pobre do país.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)