Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

€216 milhões + €50 milhões: o que vai mudar (e o que continua adiado) no Metro de Lisboa

getty

Todo o centro de Lisboa vai ter uma linha circular de Metro - a linha Verde - que dará a volta à cidade. Em stand by continuam Campo de Ourique e Amoreiras

As duas linhas verde e amarela do Metropolitano de Lisboa vão passar a ser só uma, assumindo a preponderância da cor verde, no que constituirá o principal anel circular do Metro da capital, num percurso que vai do Campo Grande ao Cais do Sodré, implicando a construção de um novo túnel de ligação ao Rato, no qual serão abertas duas estações, na Estrela e em Santos.

O valor deste projeto é da ordem dos 216 milhões de euros, revelou esta segunda-feira a empresa. Também serão compradas mais 33 composições de Metro, num valor estimado em 50 milhões de euros. Tudo será financiado com fundos comunitários e com um empréstimo do Banco Europeu de Investimento (BEI). Este novo investimento permitirá captar mais oito milhões de passageiros para o Metropolitano. Estará pronto no final de 2021.

Numa segunda fase, se for esse o entendimento futuro do Metropolitano e do Governo, poderão ser abertas estações em Campo de Ourique - que ficaria ligada ao prolongamento da linha vermelha desde São Sebastião - e nas Amoreiras.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)