Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

No éden da língua portuguesa

No dia Internacional da Língua Portuguesa falámos com a nossa coordenadora da equipa de revisão. Ler, ter cuidado com a pontuação e respeitar a gramática é o caminho para escrever melhor

Luzia Guerreiro

A língua de Camões é esta sexta-feira homenageada com o seu Dia Internacional

A língua de Camões é esta sexta-feira homenageada com o seu Dia Internacional

A língua de Camões é esta sexta-feira homenageada com o seu Dia Internacional

Trabalho no Expresso há 36 anos. Leio e revejo os textos publicados em todas as edições de sábado do jornal impresso. Coordeno a equipa de copydesks e trato por tu a língua portuguesa há uma vida. O trabalho que desenvolvo dia a dia, às vezes durante dez horas seguidas, é um prazer e também uma satisfação pessoal.

Vivo num pequeno éden da língua portuguesa. No geral, os jornalistas são cuidadosos e escrevem bem. Cada boa peça que leio é para mim muito gratificante. Dá-me mesmo prazer - e isso acontece muitas vezes neste jornal. Nesse sentido, o Expresso é um caso à parte, de tal forma que sinto verdadeiramente uma satisfação pessoal quando revejo um texto bem escrito, muito parecida com a que tenho ao ler um bom livro. E leio muito, de resto um gesto fundamental para melhor conhecer a língua. Isso, ter atenção à pontuação e não desviar os olhos da gramática são os três traços cruciais que defendo como conselhos a seguir para se tratar a língua portuguesa como deve ser.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)