Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Dara Murphy: “Nada pôde por em causa a paz na Irlanda do Norte”

Dara Murphy, ministro irlandês dos Assuntos Europeus

José Carlos Carvalho

A grande preocupação da Irlanda face ao Brexit é que o processo não mine uma paz que foi conseguida com sangue derramado de milhares de vidas durante décadas na Irlanda do Norte. É a única questão que verdadeiramente reivindicam como “única”, apesar de ser o país que, na Europa, tem mais estreitas relações com o Reino Unido. Queremos negociar em pacote a 27, diz ao Expresso.

Luísa Meireles

Luísa Meireles

entrevista

Redatora Principal

José Carlos Carvalho

José Carlos Carvalho

fotos

Fotojornalista

O ministro irlandês dos Assuntos Europeus está desde há semanas num contínuo périplo pelos vários Estados-membros por causa do Brexit - um tema que interessa a todos, mas que toca a Irlanda de modo muito particular. Em Portugal desde o fim de semana para encontros oficiais - Governo, Parlamento e oposição - diz que quer saber quais são as preocupações dos portugueses em particular. Não reivindica para a Irlanda um estatuto melhor relativamente ao Brexit do que qualquer outro Estado europeu. A 27 são todos iguais.

Brexit coloca um problema monumental à Irlanda?
É um grande desafio e há a possibilidade de ter um grande impacto no nosso país, no Reino Unido e na União Europeia. Estamos a trabalhar com a comunidade irlandesa naquele país, argumentámos contra o Brexit porque achámos que era uma má ideia, mas aceitámos a decisão que foi tomada democraticamente. Trabalharemos em conjunto com os restantes 26 membros da UE para garantir a melhor solução possível para uma política que não queríamos. Parte da razão por que estou aqui é precisamente para saber quais são as preocupações portuguesas. Precisamos de trabalhar no sentido de garantir que os interesses de todos os Estados-membros são levados em conta e de identificar áreas comuns de preocupação – seja no comércio, sobre o futuro da Europa, ou questões transatlânticas, que será uma área em que colaboraremos com os portugueses. Para além disso, há evidentemente questões que são únicas em relação à Irlanda. A primeira e mais importante é o processo de paz. A Europa tem sido um notável processo de paz que reuniu o continente depois da II Segunda Guerra.