Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

O dom de escrever sem amargura sobre um amor antigo

Inconfundível

getty

É uma história tão velha e fundamental como o tempo: Samuel Herring apaixonou-se mas não acabou bem, por isso ele foi escrever canções para explicar como doeu. É o regresso dos Future Islands, três anos depois de uma contagiante dança esquisita os ter lançado para a fama

Era difícil não acreditar nas palavras que Sam cantava. Agitado contra o fundo azul do programa de David Letterman, o vocalista dos Future Islands mexia-se com vigor, interpretando cada palavra que cantava, sofrendo com cada gesto expressivo. “As estações mudam e eu tentei muito suavizar-te”, o rosto como que a chamar o público para o drama romântico que a canção, “Seasons”, descrevia. “Mas eu cansei-me de te tentar mudar, porque tenho estado à tua espera.”

Descrevemos a atuação que, de acordo com qualquer revista especializada, crítico ou fã dos Future Islands foi a responsável por mudar a vida de Samuel Herring, Gerrit Welmers e William Cashion. Até ali, segundo descrevem os próprios, eles eram apenas “três rapazes asquerosos” numa caravana, a tocar para fãs ou para ninguém; depois, tornaram-se a banda sensação do momento, com a atuação apaixonada de Herring a conquistar os espectadores.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)