Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

É bom (às vezes sombrio) ouvir-vos de novo, Gorillaz

d.r.

Foram muitos anos de ausência, mas o material fresco da mais popular banda virtual está finalmente a chegar-nos às mãos - as novas canções dos Gorillaz convidam a dançar e à revolução, mas têm momentos sombrios, porque o mundo em que vivemos assusta

A pausa foi grande, mas a verdade é que os membros dos Gorillaz também não tiveram muito tempo para se dedicarem à música e aos discos nos últimos sete anos. Afinal, depois do ataque à ilha de Plastic Beach, a guitarrista Noodle esteve ocupada a encontrar e a matar um demónio; já o baixista Murdoc Niccals chegou mesmo a ser preso pela EMI, em Abbey Road, até concordar em escrever um novo disco para os Gorillaz.

Se o parágrafo acima parece confuso, não se admire: Noodle e Murdoc, tal como 2D e Russel Hobbs, são os membros de banda desenhada que compõem os Gorillaz, a banda virtual cujo regresso era aguardado desde 2010 (quando aconteceu o tal ataque à ilha de Plastic Beach, que foi, na verdade, o cenário para o disco lançado na altura, “Plastic Beach”, onde a narrativa das canções encaixava).

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)