Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Gestão de Mexia ganhou €95 milhões numa década: com que resultados?

António pedro ferreira

A administração executiva da EDP é uma das mais bem pagas em Portugal. Mas é também uma das que mais dão a ganhar. O grupo já distribuiu €6,3 mil milhões em dividendos aos acionistas e € 3 mil milhões em impostos desde que Mexia é presidente. Justo ou injusto?

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

É já previsível: anualmente, em março, sempre que a EDP divulga as suas contas, as notícias sobre a remuneração do seu presidente, António Mexia, geram uma onda de comentários indignados. Em 2016 o gestor arrecadou mais de 2 milhões de euros. Ou 5.578 euros por dia. Números que perturbam parte da sociedade portuguesa, habituada que está, há vários anos, à austeridade... e a sucessivos aumentos da fatura da eletricidade.

De facto, o preço da eletricidade em Portugal vem encarecendo. Desde 2008 o custo do kilowatt hora (kWh) nas tarifas ainda reguladas para as famílias subiu quase 45%, de 11,4 cêntimos em 2008 para 16,5 cêntimos em 2017, a que se somou o agravamento da taxa de IVA aplicável à fatura, de 6% para 23%.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)