Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Nova CPI da Caixa: agora estão todos quase de acordo

Ferro Rodrigues, que almoçou esta sexta-feira com Marcelo, diz que requerimento da direita cumpre as normas

LUÍS BARRA

PSD e CDS deram entrada do requerimento da nova comissão parlamentar de inquérito (CPI) à Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues vai aceitar o pedido, uma vez que nova comissão cumpre “em absoluto os termos regimentais e constitucionais”. Apesar das críticas, o PS diz que vai “respeitar as decisões” do presidente da AR. O primeiro-ministro garante colaboração do Governo

A polémica em torno da administração de António Domingues parece prolongar-se por mais tempo do que durou a própria gestão. Apesar de o banco público já ter nova liderança, continuam a ser matéria de discussão as circunstâncias em que a equipa de Domingues foi convidada a assumir a gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD). Por iniciativa do PSD e CDS, que esta sexta-feira deram entrada no Parlamento do requerimento, haverá uma segunda comissão parlamentar de inquérito (CPI) ao banco público. O objetivo é apreciar a atuação do Governo no que diz respeito à nomeação e à demissão dos gestores. O presidente da Assembleia da República não se deverá opor.

“Por aquilo que li, julgo que cumpre em absoluto os termos regimentais, constitucionais e que é um direito potestativo dos deputados. Não penso que vá haver qualquer problema. A única camisola que eu não dispo é a da Constituição da República Portuguesa”, disse Eduardo Ferro Rodrigues esta sexta-feira, após um almoço com Marcelo Rebelo de Sousa. Nessa altura, ressalvou ainda não ter tido conhecimento formal do objeto da nova CPI.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)