Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

História de uma polémica na “Cidade Global”

POLÉMICA O quadro com a vista da Rua Nova dos Mercadores, já nas paredes do Museu Nacional de Arte Antiga

MÁRIO CRUZ/LUSA

A exposição “A Cidade Global Lisboa no Renascimento” chega esta quinta-feira ao Museu de Arte Antiga, para nos revelar o ambiente de uma das mais cosmopolitas artérias da cidade no tempo dos Descobrimentos. O centro comercial de Lisboa era, nesse tempo, a Rua Nova dos Mercadores, reproduzida num quadro que é a obra “cabeça de cartaz” da exposição e, tal como o quadro de outra vista da cidade, tem sido alvo de polémica entre os historiadores quanto à sua autenticidade

Depois de vários adiamentos, e com a presença do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, é inaugura esta quinta-feira, pelas 18h30, uma das mais aguardadas, e anunciadas, exposições da programação para 2017 do Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA).

“A Cidade Global - Lisboa do Renascimento”, que ocupará as salas de exposições temporárias do MNAA até ao dia 9 de abril, traz-nos um olhar sobre o trânsito e as trocas comerciais gerados pelos Descobrimentos. O guião é a reconstituição, imaginária, de umas das ruas mais importantes da cidade no século XVI: a Rua Nova dos Mercadores, uma das principais artérias comerciais da Europa de então, que se situava na baixa lisboeta, totalmente destruída pelo terramoto de 1755.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)