Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“Trabalhei uma vida inteira para agora dizerem que sou corrupto”

O ex-diretor do ESF e primeiro chefe da polícia a ser preso em Portugal jura inocência

Mário Cruz/ Lusa

Na segunda sessão do caso Vistos Gold houve crispação, chamadas sem querer a ministros e delongas acerca das “pinguinhas” que António Figueiredo terá oferecido a Manuel Jarmela Paulos que continua a assegurar que nunca houve “tratamentos preferenciais”

Manuel Jarmela Palos, um dos cinco arguidos que aceitou falar no início do julgamento do casos dos Vistos Gold, foi ouvido esta manhã em tribunal. O ex-diretor do SEF continua a afirmar a sua inocência garantindo que não havia ligações de amizade pessoal a qualquer um dos principais arguidos. Nem Miguel Macedo que conheceu no dia em que esse foi empossado, nem António Figueiredo, cujas relações “foram sempre institucionais”. Estes dois arguidos, disse, tinham uma relação “cuidada”. “A forma como falavam era de alguém que já se conhecia do passado. O que não é de estranhar”, ressalva Palos.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)