Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

O Plano B

A pílula do dia seguinte tornou-se uma forte aliada das mulheres quando o método contracetivo habitual falhou ou não foi usada qualquer proteção. No Arquivo Expresso desta sexta-feira reproduzimos o artigo publicado originalmente na revista de 27 de novembro de 2010

Sofia Miguel Rosa

Sofia Miguel Rosa

infografia

Jornalista infográfica

Após uma noite quente de rebéubéu, nham nham, hum hum, sem proteção...

Ups! E se fosse possível fazer control+alt+delete? É isto a pílula do dia seguinte. Um medicamento que se for tomado nas primeiras 72 horas após uma relação sexual desprotegida, evita uma gravidez indesejada.

Evita. Leu bem. Estas pílulas "não são abortivas e não funcionam a 100%. A sua taxa de eficácia situa-se entre os 75% e os 90%", alerta Tereza Paula, ginecologista, membro da Sociedade Portuguesa de Ginecologia.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Uma lei, dois destinos

    Perante uma gravidez indesejada, há dois caminhos: abortar ou ter a criança. Francisca e Marta depararam-se com o mesmo problema e escolheram de maneira diferente. O referendo que abriu caminho à despenalização da Interrupção Voluntária da Gravidez faz este sábado dez anos