Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“A primeira obra foi a sensação incrível de ver pela primeira vez no espaço o que antes só tinha desenhado”

Álvaro Siza. Sessenta anos depois, o arquiteto recorda as sensações de pela primeira vez ver um projeto seu construído, graças à encomenda de um conterrâneo de Matosinhos

rui duarte silva

Álvaro Siza recorda a primeira encomenda, o primeiro projeto para a construção de um conjunto de quatro casas em Matosinhos, alvo de duras críticas na imprensa da época e feitas, como diz, com a ingenuidade própria de um principiante que ainda nem podia assinar projetos

Em meados dos anos de 1950 o jovem Álvaro estava nos seus vinte anos, não concluíra ainda a componente superior do Curso de Arquitetura e recebe uma encomenda inesperada: fazer o projeto de quatro casas, uma delas com frente para a Avenida D. Afonso Henriques, em Matosinhos, onde então se faziam as festas do Senhor de Matosinhos.

Nem tudo correu bem, mesmo se hoje olha com grande carinho para aquela obra. No dia da festa, estava a casa ocupada há poucos meses, um grupo de mulheres das fábricas de conservas para junto da casa e dedica-lhe uma canção onde se diz serem aquelas as casas mais feias da terra.

No jornal “Comércio do Porto”, um jornalista alerta para o escândalo da construção daqueles “casinhotos” junto à igreja matriz. Mais tarde dirigiu-se a Álvaro Siza para lhe pedir desculpa.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Conheça a primeira “vítima” de Álvaro Siza Vieira

    Há 60 anos, o gerente de uma empresa de pesca ousou chamar um jovem desconhecido, ainda com o curso de arquitetura por terminar, para lhe desenhar uma casa. Era a primeira encomenda do primeiro projeto para a primeira casa desenhada por aquele que vem a transformar-se num dos mais importantes arquitetos do mundo contemporâneo: Álvaro Siza Vieira