Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

TSU fica nos 23,75% se apreciação parlamentar do PCP for aprovada

FOTO MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Partido de Jerónimo de Sousa entregou apreciação parlamentar para anular baixa da TSU. Se for aprovada, como tudo indica, taxa sobe logo para 23,75% e não pode ser alterada para valores de 2016

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

O Parlamento tem agora 30 dias para votar a apreciação parlamentar sobre a descida da TSU e, se for aprovada, como tudo indica, isso significa que haverá uma cessação de vigência do valor de 22,5% da TSU promulgada esta terça-feira e que deve entrar em vigor no dia 1 de fevereiro. Se essa votação for ainda em janeiro, a nova baixa da TSU nunca verá a luz do dia.

A deputada do PCP Rita Rato explicou esta tarde, após o debate quinzenal, que havendo a cessação de vigência, não poderão ser apresentadas quaisquer propostas de alterações, ou seja alternativas ao valor de 23,75%, que é o valor normal da TSU e que não é praticado desde outubro de 2014. Foi nessa altura que começaram a ser introduzidas baixas da TSU para os contratos com salário mínimo, prática que continuou com este Governo.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)