Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Bastante cru e triste

Podia ter sido o grande regresso de Phil Elverum, dos Mount Eerie, depois dos dois anos de hiato em que lidou com a doença e morte da jovem esposa. Mas o músico pediu que não aparecessem no concerto: “Sinto-me esmagado e arrependido”. Uma história triste. Uma história de amor, portanto

CRÉDITOS: CONTA NO FLICKR DE MOUNT EERIE

O projeto musical de Phil Elverum, que tem essa designação luar e desamparada que é Mount Eeerie, anunciou no fim de dezembro uma notícia aparentemente boa depois de um acontecimento trágico. O artista, um daqueles para quem os rótulos não servem – chamem-lhe indie, rock, avant-garde, alternativo, eletrónico em part-time, ou qualquer outra coisa – marcava finalmente o primeiro concerto desde que começou o seu longo hiato, em 2014.

O concerto traria muitas novidades: 11 músicas novas, posteriormente a converter em álbum e em digressão, e sobretudo a oportunidade de ver e apoiar o artista depois de um ano de perda pessoal que ele sempre admitiu viver com dificuldade, um ano que foi para ele “a prova conclusiva da ausência de Deus”. Talvez por isso pareça estranho a quem procura agora pela internet provas desse concerto, um pedacinho dos novos sons de Mount Eerie, a simples aparência de Phil Elverum dois anos depois, que nada haja para encontrar em plataforma nenhuma.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)