Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Dona das lojas Girandola enfrenta dívidas de 12 milhões de euros

PROTESTO Na semana passada os funcionários da empresa fizeram uma marcha reclamando salários em atraso

lusa

A cinquentenária Valindo Têxteis, de Fafe, tem em curso um processo para despedir meia centena de trabalhadores. Com as vendas a cair, as dívidas ascendem a 12 milhões de euros. A empresa, que já recebeu uma injeção de fundos comunitários, tem entre os seus maiores credores a Segurança Social

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

No centro comercial Oeiras Parque, na periferia de Lisboa, a pequena loja da Girandola, à semelhança dos restantes pontos de venda de vestuário infantil, tenta aproveitar a época de saldos para escoar os seus produtos com descontos da ordem dos 50%. Nada de estranho na atividade desta marca portuguesa de roupa de criança, certo? Não é bem assim. Num par de meses várias lojas da Girandola em Portugal encerraram, despedindo cerca de duas dezenas de trabalhadores. Por trás desta crise estão as dificuldades financeiras de uma companhia de Fafe, a Valindo Têxteis, que, sabe-se agora, soma dívidas de 12 milhões de euros.

Na verdade, são 11,4 milhões de euros de capital em dívida e 570 mil euros de juros, segundo a lista provisória de créditos que acaba de ser publicada pelo administrador judicial no âmbito do processo especial de revitalização que tramita no juízo de comércio de Guimarães. Segundo a lista, que soma quase 400 partes interessadas (entre trabalhadores, fornecedores, bancos e outras entidades), um dos maiores credores é a Segurança Social, que terá a receber da Valindo Têxteis um total de 1,86 milhões de euros (são 1,6 milhões de euros em contribuições e quotizações por pagar, mais juros).

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)