Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Harpreet recebeu Costa e antes Soares: “Tinha o body language de um homem feliz”

“Nunca tinha a cara cold. O body language era de um homem feliz.” Em 1992, Soares encantou a Índia e Harpreet Singh Aurora. O agora responsável pelo departamento de imprensa do Centro Cultural Português em Goa, que hoje acompanha António Costa na visita de Estado à Índia, tinha 22 anos, acabara de ser recrutado para a embaixada portuguesa e recorda um homem humilde e disponível

Helena Pereira

Helena Pereira

enviada a Ahmedabad (Índia)

Editora de Política

A viagem de Mário Soares à Índia ficou conhecida para sempre em Portugal pela imagem do casal presidencial de turbante cor de laranja em cima de um elefante, em Jaipur. Na memória de Harpreet Singh Aurora ficou muito mais do que isso.

“Estava sempre a dizer adeus mesmo quando ia no carro. Qualquer pessoa podia ir ter com ele e conversar e nunca o víamos com cara cold, mas sempre com ar disponível, o ar de quem estava muito feliz de estar aqui. Era o que dizia o seu body language. Era tudo muito fácil. Sabe quando it flows?”, recorda este indiano ao Expresso, falando português, uma língua que domina bem, embora às vezes misture com o inglês, ou pela tradução não lhe vir imediatamente à cabeça ou por achar que a palavra inglesa corresponde melhor ao sentido do que quer exprimir.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • A “decisão difícil” de Costa

    Primeiro-ministro português quis corresponder ao empenho inédito da Índia na viagem e, por isso, não regressou a Lisboa para funeral de Soares. Modi, que conferiu a Costa estatuto superior a Theresa May, não o larga até a comitiva partir para Goa

  • A mulher que ajudou a preparar a visita de ‘marajá’ Costa

    Chegou a Lisboa no verão passado. Chama-se Nandini Singla, é embaixadora da Índia em Portugal, e diz que a visita de seis dias que o primeiro-ministro português inicia esta sexta-feira ao seu país “é muito aguardada, e rica em substância e simbolismo”. O país de Nandini vê António Costa como o primeiro descendente de indianos a chefiar um governo europeu

  • As cores do luto

    Mário Soares morreu, mas está vivo nas fotografias a preto e branco. Nas capas dos jornais. Nas mensagens escritas à mão. Na voz de quem grita na rua que ele “é fixe”. No vermelho das rosas e no amarelo das bandeiras. E em duas andorinhas desenhadas na capa de um livro

  • Soares é fixe: edição especial e gratuita do Expresso Diário para guardar

    Henrique Monteiro escreve sobre o maior homem do tempo dele em Portugal. Ricardo Costa antecipa o guia para ler Mário Soares no Facebook. Pedro Santos Guerreiro explica como somos livres para dizer que nos dói perder Soares. António Valdemar, que foi aluno de Mário Soares - com o qual privou durante décadas -, deixa uma testemunho inédito. Joaquim Vieira, biógrafo, elabora sobre a coragem de Soares. Na opinião: Daniel Oliveira, João Semedo, Vítor Ramalho e Henrique Raposo. Soares é fixe