Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Novo Banco. Suspense até ao fim

Venda do Novo Banco continua envolta em muitas dúvidas

TIAGO MIRANDA

Apesar de ter sido dada prioridade máxima à segunda tentativa de venda do antigo BES, o dossiê tarda em fechar. Banco de Portugal vai pronunciar-se ainda esta quarta-feira - não o tinha feito até à hora de fecho desta edição. Dificuldades com prova de fundos e garantias pedidas ao Estado pelos candidatos na corrida atrasaram processo que o governo queria ter fechado em 2016. Cenário de nacionalização baralha mais as contas. Desde que foi intervencionado o ‘banco bom’ já consumiu 6,9 mil milhões de euros

A venda do antigo BES continua em banho-maria, embora se aguarde ainda esta quarta-feira ao final do dia uma recomendação por parte do Banco de Portugal ao Governo sobre o processo de venda em curso.

Dois anos e seis meses após ter sido intervencionado a 3 de agosto de 2014, o Novo Banco continua sem comprador à vista. As complicações são várias e prendem-se com a disponibilidade de fundos exigidos pelo Banco de Portugal ao candidato chinês Minsheng e os pedidos de garantia ao Estado para os ativos problemáticos por parte dos norte-americanos Lone Star e Apollo Management, em parceria com a Centerbridge. A este consórcio juntou-se recentemente o grupo Violas, uma alteração que o Banco de Portugal terá de validar, segundo apurou o Expresso.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Centeno assume: Novo Banco ainda pode vir a ser nacionalizado

    No dia em que o Banco de Portugal tem de escolher que propostas de aquisição do Novo Branco deve apresentar ao Governo, o ministro das Finanças admitiu, em entrevista ao “DN/TSF”, que a instituição ainda pode ser nacionalizada. Quanto à liderança na CGD , Centeno garante que “os novos nomes foram testados”

  • Responsáveis da Apollo em Lisboa para melhorar oferta pelo Novo Banco

    A Lone Star propõe-se a pagar 750 milhões de euros pelo Novo Banco, prevendo investir um valor igual no reforço de solidez da instituição. Para bater esta oferta, a aliança Apollo/Centerbridge terá de rever em alta a sua proposta financeira. Durante o processo de negociação, nunca foi conhecido o valor que o consórcio propôs pagar