Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Deputados criticam mas não se intrometem em perdão do Novo Banco ao Sporting

ANTÓNIO COTRIM / LUSA

PSD e PCP consideram que perdão do Novo Banco, intervencionado pelo Estado, faz parte de atos de gestão do banco

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

Do PSD ao PCP, os deputados não deverão tomar partido no polémico acordo estabelecido entre o Novo Banco e o Sporting para renegociar a dívida da SAD leonina, que o Novo Banco herdou do BES. A petição que pede a anulação do perdão de juros ao Sporting, por se tratar de um banco intervencionado pelo Estado, não encontrará simpatizantes no plenário, independentemente das preferências clubísticas.

O assunto vai esta quinta-feira a debate em plenário na sequência de uma petição pública que questiona os moldes do acordo que permitiu ao Sporting - na condição de aceitar uma profunda reestruturação financeira na sua operação - ter acesso a juros mais baixos no pagamento das suas dívidas e a um prolongamento de 10 anos no reembolso de 55 milhões de euros de Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (VMOC), que terminavam a 17 de janeiro de 2016.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)