Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Javier Echevarría. O Opus Dei perdeu o menino que balbuciava

O bispo que ocupava o cargo de Prelado do Opus Dei morreu na noite de segunda-feira, aos 84 anos. Foi o fim de uma vida dedicada à Obra, uma organização fundada em 1928 no seio da Igreja Católica que é polémica para alguns e influente aos olhos de todos

Cátia Bruno

Cátia Bruno

Jornalista

joão carlos santos

Javier Echevarría estava internado desde o dia cinco de dezembro, por insuficiência respiratória, mas a resposta do bispo aos antibióticos parecia satisfatória, como contava esta manhã o diário espanhol “ABC”. No entanto, os 84 anos de Echevarría pesaram e o homem que exercia o cargo de Prelado do Opus Dei acabou por morrer, deixando para trás uma vida de serviço na organização católica.

Conta o mesmo jornal que o bispo madrileno era conhecido pelo seu sentido de humor, mas pouco mais se sabe da vida pessoal deste homem, que ocupava o cargo mais importante na Obra de Deus. É certo que Echevarría nasceu a 14 de junho de 1933 em Madrid e que ingressou no Opus Dei em 1948, antes ainda de ser ordenado padre - o que viria a acontecer sete anos depois. Esse momento marcou profundamente a vida do sacerdote.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)