Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

A Rússia interveio nas eleições dos EUA? E depois, qual é o espanto?

DECIDIDO Vladimir Putin, numa reunião no Kremlin, no passado dia 8

reuters

Os serviços secretos norte-americanos têm fortes suspeitas de que informações recolhidas ilegalmente de caixas de correio eletrónico de membros do Partido Democrata norte-americano foram entregues à Wilikeaks por figuras ligadas ao governo russo, durante a campanha presidencial norte-americana, para favorecer a candidatura de Donald Trump. O “sovietólogo” José Milhazes explica porque é que as “fortes suspeitas” têm sérios fundamentos - o contrário é que seria de estranhar

José Milhazes

Se os países têm serviços secretos, eles têm de mostrar trabalho. E, no caso de duas potências - Estados Unidos e Rússia -, seria muito estranho se não fosse assim, tanto mais quando estão em jogo questões fundamentais para o destino das relações entre esses dois países.

Além disso, não se pode esquecer que estamos numa época em que existem sistemas de espionagem sofisticados, como “ataques piratas” aos mais modernos sistemas eletrónicos. Por isso, qualquer serviço de informações com o mínimo de meios tenta tirar o partido máximo dessas novas possibilidades. É banal afirmar, mas vale a pena repetir, que só Edward Snowden provocou prejuízos ao sistema de segurança norte-americana maiores do que uma numerosa rede de espionagem clássica.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)