Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Draghi deu uma ajuda ao leilão de dívida portuguesa

getty images

Juros da dívida estão a descer desde segunda-feira depois de o presidente do Banco Central Europeu garantir que os estímulos monetários estão de pedra e cal. Risco de bancarrota está longe dos picos que atingiu aquando do Brexit ou do Grexit. IGCP (Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública) regressa esta quarta-feira ao mercado para o último leilão português do ano

Depois de um sobressalto na sexta-feira com os juros da dívida portuguesa a 10 anos a atingirem um máximo de nove meses no mercado secundário, a trajetória de subida desde a vitória de Donald Trump inverteu-se segunda-feira.

Os juros das Obrigações do Tesouro (OT) a 10 anos desceram para 3,6% na abertura desta terça-feira, depois do pico do mês de 3,85% a 18 de novembro. A mudança de trajetória registou-se também nos juros a 5 anos, que estão nos 2,16%, depois de terem atingido 2,3% na sexta-feira passada.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Os juros das Obrigações do Tesouro a 5 e 10 anos estão em trajetória descendente desde segunda-feira, depois de terem subido para cerca de 3,9% e 2,3% respetivamente no final da semana passada. Ontem foram os que mais desceram nos periféricos. Quarta-feira Portugal realiza leilão de dívida a 5 anos