Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Jared Taylor, um dos mentores de Trump: “Ficarei admirado se não houver violência”

Considera que os mexicanos e chineses não têm direito ao sonho americano - mas os europeus sim. Defende que só os brancos são capazes de manter um Estado de direito. Propõe que o Governo “pare de forçar pessoas de raças diferentes a viver juntas”. E admite um banho de sangue nas ruas. Entrevista a Jared Taylor, um dos homens que influenciam o novo presidente dos EUA, Donald Trump

Numa entrevista exclusiva ao Expresso, a ser publicada na íntegra este sábado na edição impressa, Jared Taylor, líder do movimento de extrema-direita Alt-Right, com ligações estreitas ao presidente eleito dos EUA, Donald Trump, explica por que motivo a expulsão de 11 milhões de ilegais é fundamental para defender “a cultura branca”. O segmento que o Expresso Diário adianta esta sexta-feira centra-se na ideologia e disseminação do grupo, assim como potenciais cenários de violência. O deste sábado concentra-se nas ligações do Alt-Right a Trump e em mais sinais de antissemitismo e racismo.

Jared Taylor, cujo discípulo, Steve Bannon, foi nomeado há uma semana braço direito do magnata (white house chief strategist), afasta a ideia de fazer parte de um novo triângulo de poder, embora tenha recolhido milhões para o candidato vencedor. Calmo e com voz serena, este intelectual de Yale tem esperança que Trump “pare de insistir na política de forçar pessoas de raças diferentes a viver juntas”.

Para ler a entrevista, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Trump escolhe para conselheiro de segurança nacional general que defende prisão de Clinton

    A equipa do Presidente eleito dos EUA confirma que cargo foi oferecido a Michael Flynn mas recusa-se a confirmar se o general na reforma aceitou o convite. Foto de encontro entre Trump e Shinzo Abe, o primeiro chefe de Governo a encontrar-se com o próximo líder dos EUA, mostra que Flynn esteve presente nessa reunião, que teve lugar na Trump Tower, em Nova Iorque, na quinta-feira. Entre os momentos controversos da carreira do general conta-se um tweet a dizer que "ter medo dos muçulmanos é racional"